Joaquim Agostinho PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Joaquim Francisco Agostinho nasceu em Brejenjas, no Concelho de Torres Vedras, a 7 de Abril de 1943. Foi um dos maiores símbolos do Sporting Clube de Portugal e o melhor ciclista português de todos os tempos.

Agostinho só iniciou a sua carreira de ciclista com 25 anos de idade. Aos 18 anos foi chamado a combater na Guerra Colonial, em Moçambique. Durante o período que lá esteve, participou numa corrida de bicicletas em Vila Real, vencendo a prova. Já em Portugal depois de cumprido o seu serviço militar, e com a memória desta vitória, Joaquim Agostinho pediu emprestado equipamento para se treinar ao seu vizinho João Roque, que havia sido o vencedor da Volta a Portugal de 1963. João Roque ficou desde logo espantado com as capacidades deste que viria a ser um dos grandes símbolos do nosso clube. Roque trouxe o para Alvalade em Fevereiro de 1968, quando Agostinho já tinha 25 anos de idade.

Joaquim Agostinho

Em Abril deste ano conquistou o Campeonato Nacional de Fundo para Amadores e foi logo chamado a incluir a equipa do Sporting para a Volta a Portugal desse ano. Mesmo não vencendo nenhuma etapa, com os tempos obtidos, conquistou o 2º lugar da prova, ajudando o Sporting a ser o primeiro na Geral de Equipas. Foi seleccionado para representar Portugal no Mundial de Estrada, em Imola, conquistando o 16º Lugar, lugar que seria melhorado por si no ano seguinte, com a obtenção de um 15º Lugar.

Venceu todas as Voltas a Portugal entre 1969 e 1973, sendo desclassificado por doping em dois desses anos, pelo que no seu palmarés apenas constam oficialmente três vitórias na prova rainha do ciclismo português. Venceu 25 etapas ao longo das edições da Volta a Portugal em que participou. Ganhou cinco vezes consecutivas o Campeonato Nacional de Fundo, aos quis somou os títulos nacionais de perseguição individual em 1971 e de contra-relógio por equipas em 1968 e 1969, conquistando com a camisola verde e branca o honroso 2º lugar da Volta ao Luxemburgo de 1969 e um 5º Lugar na Volta á Suíça de 1972.

Estes feitos valeram-lhe quatro Prémios Stromp na categoria de Atleta Profissional, conquistados nos anos de 1968, 1969, 1971 e 1972, aos quais se viria a juntar um outro prémio na categoria Saudade, atribuído a titulo póstumo em 1984, ano do seu falecimento.

A sua classe leva-o a equipas estrangeiras, mas depois de um 2º lugar na Vuelta de 1974, regressa no ano seguinte a Portugal, ano em que o Sporting aposta forte na modalidade, mas sem grande sucesso.

Emigrou de novo porque o seu lugar era entre os melhores do mundo, nomeadamente no Tour de France. Na prova mais importante do calendário ciclista mundial, Joaquim Agostinho conta com doze participações, nas quais ficou oito vezes nos dez primeiros. Obteve dois terceiros lugares, com cinco vitórias em etapas, incluindo o mítico Alpe d'Huez a 15 de Julho de 1979, onde foi colocado em sua honra um busto em bronze.

Na Volta à Espanha participou 4 vezes e para além do 2º lugar de 1974, venceu três etapas e chegou a andar cinco dias de amarelo.

Regressou ao Sporting em 1984, com 40 anos de idade. Na Volta ao Algarve, decorria a 5ª etapa, quando Joaquim Agostinho teve uma aparatosa e fatal queda, ao atropelar um cão que se atravessou no seu caminho. Agostinho acabou, vestido de amarelo como sempre, a etapa, cortando a meta com a ajuda de dois colegas do Sporting. Foi operado em Lisboa dez horas após o acidente, sendo tarde demais. Após dez dias em coma, faleceu no dia 10 de Maio de 1984.

 

Júlio Rendeiro

A história do SCP foi edificada com o contributo de inúmeros atletas que desde 1906 concretizaram um sonho que estará sempre por cumprir.

Nos primeiros tempos tratavam-se de atletas que simultaneamente eram dirigentes, seccionistas, roupeiros numa comovente demonstração de amor à camisola.

Neste espaço pretendemos evocar os homens e mulheres que engrandeceram o ideal de Francisco Stromp. Queremos valorizar aqueles que, nas mais diversas modalidades, transformaram o SCP na maior potência desportiva nacional, num dos maiores da Europa em títulos conquistados e no topo do mundo com mais de uma centena de atletas olímpicos.

Assumimos o legado deixado pelas várias gerações de atletas e por ele lutamos convictamente.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS