Emblemas do SCP PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
História
Sexta, 25 Junho 2010

1 - 1907  O Primeiro Emblema

O emblema do Sporting teve origem no Verão de 1905, nas conversas tidas em Cascais entre José Holtreman Roquette (José Alvalade), os primos José Roquette, António Rebelo de Andrade e D. Fernando de Castelo Branco (Pombeiro).

José Alvalade pede a D. Fernando Castelo Branco (Pombeiro), para autorizar a utilização do leão rompante do seu brasão como símbolo do clube. Pombeiro concede a referida autorização, mas pede que o fundo não seja azul, igual ao brasão. Os quatro escolhem o verde, cor que expressa a esperança de sucesso do novo clube.

Em 1907 a Casa Anjos, de Lisboa, apresenta o símbolo: um emblema circular com um leão rompante sobre a inicial da palavra Club, com a inicial da palavra Sporting à esquerda e Portugal à direita, em prata, com fundo verde.

2 - 1913  Inspiração veio da Alemanha

Em 1910 Hugo Morais Sarmento regressou da Alemanha para ingressar no Sporting, como guarda-redes, por proposta de Manuel Monterrozo Carneiro. Quando chegou ao Sporting trazia vestido um casaco azul, com uma lapela onde se alinhavam quatro emblemas germânicos.

Daqui surgiu a ideia de se mandar confeccionar naquele país emblemas para o Clube. Foi o próprio Morais Sarmento quem desenhou o modelo e se encarregou da encomenda.

Os novos emblemas chegaram ao Sporting a 1 de Abril de 1913: um leão rompante branco num escudo de fundo verde, envolvidos por uma cercadura circular preta com o nome do clube escrito a branco.

3 - 1930 A génese dos anos seguintes

Em 1923 a direcção do Sporting mandou confeccionar nova remessa de emblemas na Alemanha. Contudo, a assembleia geral realizada em Janeiro nomeou uma comissão que rejeitou os quatros modelos apresentados, um dos quais da autoria de Júlio de Araújo.

Em 1930 foi oficialmente adoptado o emblema, que está na génese do que perdurou até 2000: um leão rompante de pé, a branco, com as iniciais a branco por baixo do leão, em fundo verde.

4 - 1945 Destaque para a  sigla

Em 1945 surge um novo emblema, onde se destacava a sigla do Clube, pela primeira vez a coroar o símbolo. O escudo mantinha o fundo verde, com o leão rompante e a sigla a branco. O símbolo adopta uma forma recortada, em forma de escudo.

5 - 1956 Comemoração do cinquentenário

Em 1956, para assinalar a comemoração do cinquentenário, a direcção criou um emblema constituído por um laurel dourado com cercadura em esmalte verde onde estava escrita legenda dourada "50 anos ao serviço do desporto e da Pátria". Na circunferência central, em esmalte branco, estava o emblema oficial do clube.

6 - 2001 Imagem para o século XXI

O ano de 2001 marca a consolidação do Sporting como um Clube profissionalizado e apostado em garantir a sustentabilidade económica e desportiva. Para reforçar este posicionamento, o Sporting apresenta uma nova imagem gráfica, mais estilizada, rejuvenescida e adequada ao perfil actual dos 3 milhões de sócios e simpatizantes.

A modernização da imagem institucional foi antecedida por diversos estudos de marketing estratégico e tem subjacente uma lógica evolutiva que permitiu desenvolver um emblema coerente com o passado do Sporting: assenta nos valores tradicionais do clube - esforço, dedicação, devoção e glória -, e no símbolo e cor desde sempre associados ao Clube - o leão e o verde. As aplicações desregradas, os diferentes nomes utilizados para definir o clube (no estrangeiro, muitos conhecem-no como Sporting de Lisboa) colaboraram igualmente para criar uma anarquia pouco consentânea com a identidade de um clube que assume como objectivos a liderança no panorama nacional e a notoriedade internacional.

A nova solução gráfica, pelo contrário, é unificada e coerente. Sem romper com o passado, apresenta uma imagem contemporânea, institucional, popular e simultaneamente internacional: um reflexo da personalidade e ambição do Sporting, bem como das expectativas dos seus sócios e simpatizantes. O enquadramento foi simplificado mantendo, no entanto, a cor verde e o escudo; foram introduzidas três listas brancas horizontais que remetem  para o simbolismo da camisola do clube; as palavras 'Sporting' e 'Portugal', agora escritas por extenso, enfatizam a dimensão nacional do clube e unificam o seu nome a nível internacional; o leão surge mais estilizado e com um impacto reforçado que lhe é conferido pela cor dourada.

Como uma coroa, a sigla SCP continua a perpetuar um nome com perto de um século de história. Este símbolo será posteriormente aplicado em todas os suportes institucionais do clube, demarcando uma viragem que, além de visual, é essencialmente estratégica e espelha a aposta na criação de um conjunto de empresas profissionalizadas e rentáveis, na consolidação de uma das marcas portuguesas mais eficaz e na liderança nas áreas desportivas em que está presente.

 

A nossa História do SCP

Ousar abordar a história do nosso SCP, na perspectiva do adepto, é um desafio a que nos propomos.

Não é uma abordagem personalizada nas figuras e figurões que têm pass(e)ado pelo nosso Clube. Na Torcida Verde abominamos e desprezamos essa "análise" muito característica de uma determinada mentalidade identificada com a visão "sincrónica da história".

Preferimos a análise diacrónica onde se releva a instituição no contexto sócio desportivo, como aliás é apanágio da "história moderna".

Não pretende por isso ser a história oficial, que revela sempre a "perspectiva" destes ou daqueles dirigentes que na ocasião presidem aos destinos do Clube.

Por tudo isto esta é a nossa história do SCP.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS