Década de 80: da massificacão da pratica desportiva à formação dos grupos de adeptos organizados PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

A pujança do SCP, pós-revolução de Abril foi-se afirmando, transformando-se rapidamente na maior potência desportiva nacional.

Em 31 Maio de 1981, em plena Pista de Tartan do Estádio José Alvalade, Fernando Mamede estabelece o novo recorde Europeu dos 10 000 metros. Cerca de 20 000 sportinguistas, empolgados com o 3º título europeu de Cross entretanto conquistado, afluem ao Estádio José Alvalade para festejar aquele feito de Fernando Mamede para o desporto nacional, como se de um título de Futebol se tratasse!

Ainda em 1981 o Hóquei do SCP conquista a sua primeira Taça das Taças.

Em 1982 o SCP conquista o pleno nas principais modalidades desportivas nacionais: Em Futebol vence o Campeonato, a Taça de Portugal e a Supertaça, tal como no Hóquei em Patins, no Atletismo que também conquista o seu 4º título europeu de Cross, no Andebol, no Basquetebol, no Ténis de Mesa, no Bilhar, na Ginástica e na Natação.

Dobradinha 81 82

Em 1982 Carlos Lopes estabelece novo recorde da Europa dos 10 000 metros em Oslo.

A construção da Bancada Nova em 1984 foi uma obra de grande alcance estratégico, possibilitando não só aumentar a lotação do Estádio José Alvalade em mais 15.000 lugares como integrar 40 ginásios, 2 pavilhões, uma pista de gelo e piscinas. A era da massificação desportiva chega a Portugal e o seu pioneiro, uma vez mais, é o Sporting!

Modalidades como a natação e a ginástica envolvem milhares de praticantes. Os saraus de Ginástica exemplificavam a pujança do clube, com seus milhares de praticantes. Em 1985 a Ginástica do SCP atingiu o inacreditável numero de 9.000 praticantes e alcança prestigio internacional, bem exemplificado com as sucessivas presenças nas edições da Gimnastrada!

O SCP atinge os 15 000 atletas, em meados dos anos 80, e inova com a abertura da primeira loja de Clube em Portugal, a "Loja Verde", potência o efeito "Bingo" como fonte de receita suplementar, assim como a construção de bombas de combustível.

Esta dinâmica transforma o SCP num fenómeno social, passando numa década de 25 000 sócios (1973) para 105.000 associados! Este foi um período de grande mobilização e conquista de novos adeptos, graças a esta imparável dinâmica multidesportiva.

É nesta conjuntura que aparecem os grupos de adeptos, vulgo claques. Em 1984 nasce a Torcida Verde num ambiente de grande militância associativa.

 

Torcida Verde

Na década de 80 o SCP potência e organiza os seus adeptos espalhados por todo o país e no estrangeiro, incentivando a formação de núcleos de adeptos sportinguistas. O apelo à mobilização e expansão dos núcleos é desta forma uma prioridade assumida pelos dirigentes do SCP e uma forma de participação dos adeptos na construção do ideal sportinguista!

Em 1984 Carlos Lopes conquista a primeira medalha de ouro para Portugal nas olimpíadas de Los Angeles, nesse certame metade da representação portuguesa nas várias modalidades eram atletas do Sporting Clube de Portugal. Ainda nesse ano o SCP conquista o 5º título Europeu em Atletismo que repete em 1985, 1986 e 1989!

O ano de 1984 ficaria tragicamente associado ao acidente que vitimou Joaquim Agostinho numa Volta ao Algarve. A vitória na Volta a Portugal seria uma justa homenagem ao magnifico ciclista que faleceu, representando o SCP!

O Andebol conquista novo titulo nacional, o que repetiria em 1985/86.

Em 1985 o Hóquei do SCP conquista a 2ª Taça das Taças e Carlos Lopes conquista novo recorde na Maratona em Roterdão.

Jorge Theriaga afirma-se no Bilhar nacional e Europeu.

Em meados da década nasce a contenda com o "Metro" que impunha a demolição de um dos pavilhões do SCP. Na ausência de pavilhão, ganhou especial importância a dinamização das duas "Naves "edificadas na Bancada Nova.

O Ténis de Mesa do SCP amealhou títulos nacionais numa quantidade record, insuperável a curto prazo. A cavalgada iniciou-se em 1984/85; conquistando 11 títulos nacionais consecutivos. Semelhantes foram as conquistas das actividades subaquáticas, do bilhar da ginástica e da natação.

Em 1987/88 o Hóquei do SCP conquista novo título Nacional, com uma equipa constituída por juniores, dando seguimento ao excelente trabalho de formação, superiormente orientado por António Livramento.

Em 1988 o Clube atravessa uma grave crise directiva, emergindo Jorge Gonçalves como novo presidente do SCP.

Uma enorme onda de entusiasmo percorre transversalmente os adeptos leonino, o que se reflectiu num curto período de euforia com novo aumento do número de sócios e lotações esgotadas no Estádio José Alvalade e nas modalidades em que o clube estava envolvido.

O mandato de Jorge Gonçalves seria de curta duração e em 1989 Sousa Cintra é eleito o novo Presidente do SCP.

 

A nossa História do SCP

Ousar abordar a história do nosso SCP, na perspectiva do adepto, é um desafio a que nos propomos.

Não é uma abordagem personalizada nas figuras e figurões que têm pass(e)ado pelo nosso Clube. Na Torcida Verde abominamos e desprezamos essa "análise" muito característica de uma determinada mentalidade identificada com a visão "sincrónica da história".

Preferimos a análise diacrónica onde se releva a instituição no contexto sócio desportivo, como aliás é apanágio da "história moderna".

Não pretende por isso ser a história oficial, que revela sempre a "perspectiva" destes ou daqueles dirigentes que na ocasião presidem aos destinos do Clube.

Por tudo isto esta é a nossa história do SCP.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS