Na década da Revolução PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Em 1971 Carlos Lopes é Campeão Nacional dos 10000m de Corta-mato e a equipa feminina de Atletismo sagra-se campeã pela 13º ano consecutivo. Nesse mesmo ano Yazalde ingressa no Clube e Hilário despede-se do Futebol.

Em 1972 Joaquim Agostinho torna-se Campeão Nacional de Fundo, vence a volta a Portugal (que o SCP vence por equipas) e é 5º na Volta à Suíça. Manuel Delfim Guerreiro é Campeão Nacional de Tiro (Carabina).

Em 1973 o número de associados do SCP cifra-se nos 25.000. Nesse ano a equipa de Futebol vence a Taça de Portugal.

No dia 24 Abril de 1974 a equipa de Futebol do SCP perde o acesso a mais uma final da Taça das Taças, num jogo disputado em Madgburgo, na República Democrática da Alemanha. Aquando do regresso a Portugal, é um novo país que emerge precisamente na madrugada do dia 25 Abril de 1974. De resto o SCP é o primeiro Clube a associar-se ao 25 de Abril.

Ainda em 1974 o Futebol do SCP conquista o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal e o argentino Hector Yazalde conquista a "Bota de Ouro", graças aos 46 golos sagrando-se o melhor marcador europeu.

Yazalde

Em 1976 o SCP realiza uma histórica visita à Republica Popular da China, algo totalmente inédito em todo o mundo ocidental, numa manifestação do enorme prestígio do Clube.

O Futebol de formação torna-se numa aposta cada vez mais importante pelo crescente número de atletas que ascendem ao futebol profissional; o que viria a tornar-se como "imagem de marca" da própria instituição.

No ano de 1976, Carlos Lopes conquista a medalha de prata das Olimpíadas de Montreal no Canadá, numa final marcada pela suspeição que se abateu sobre o "vencedor", o finlandês Lasse Viren. Seria o início de uma verdadeira saga de êxitos internacionais do atletismo do SCP e também do país. Ainda em 1976, Carlos Lopes conquista o seu primeiro título de Campeão do Mundo no Pais de Gales.

Em 1977 é conquistado o primeiro título europeu em Cross, o que se repetiria em 1979.

A edificação de um novo Pavilhão perto do Estádio foi obra importantíssima participada pela militância dos adeptos que ofereceram dias de trabalho, numa demonstração da importância do ecletismo para os associados e adeptos leoninos!

No ano de 1975 o Hóquei em Patins iniciou um período de domínio nacional. A conquista da Taça dos Campeões europeus em 1977 foi um grande momento para o SCP, tendo sido a primeira conquista de clubes nacionais. O cinco sportinguista composto por Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e Chana foi a base da selecção nacional que conquistou o título Mundial para Portugal em 1978.

Hóquei em Patins 75/76

Em 1979 nasce a Pista de Tartan no Estádio José Alvalade, facto histórico e inédito em Portugal. Desta forma se reafirmava a vocação do SCP para o desenvolvimento do Atletismo mas também de outras modalidades do clube e das populações que beneficiavam daquele novo equipamento.

No final desta década a equipa de Futebol do SCP realizou uma histórica digressão a Angola, potenciando uma vez mais o seu estatuto de grande embaixador da diáspora lusa numa altura em que as relações entre os dois países não estavam completamente normalizadas.

Nessa época 1979/80 o Futebol Leonino conquista mais um campeonato nacional.

 

A nossa História do SCP

Ousar abordar a história do nosso SCP, na perspectiva do adepto, é um desafio a que nos propomos.

Não é uma abordagem personalizada nas figuras e figurões que têm pass(e)ado pelo nosso Clube. Na Torcida Verde abominamos e desprezamos essa "análise" muito característica de uma determinada mentalidade identificada com a visão "sincrónica da história".

Preferimos a análise diacrónica onde se releva a instituição no contexto sócio desportivo, como aliás é apanágio da "história moderna".

Não pretende por isso ser a história oficial, que revela sempre a "perspectiva" destes ou daqueles dirigentes que na ocasião presidem aos destinos do Clube.

Por tudo isto esta é a nossa história do SCP.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS