Tifo business? Não obrigado! PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

O auto-financiamento é uma das características inerentes ao fenómeno dos grupos de adeptos organizados.

Na Torcida Verde enquanto grupo de adeptos que nasceu fora dos bastidores de acesso ao poder leonino, a questão do financiamento resultou desde a primeira hora do esforço colectivo e solidário dos seus militantes.

Material Tor Ver

A produção de autocolantes foi a primeira iniciativa que, em 1985, possibilitou uma campanha de fundos resultante da sua venda nos míticos saraus de ginástica que o SCP organizava no pavilhão Carlos Lopes ao logo de três dias.

A produção de t-shirt’s, sweat’s e cachecóis no inicio dos anos 90 foram outras iniciativas potenciadas. A produção destes materiais significou também a afirmação da Torcida Verde junto dos adeptos verde e brancos tantas vezes transmitindo conceitos através da imagem contida nesses artigos.

Uma linha quase "invisível" separa o conceito centrado na necessidade de auto-financiamento de um outro, claramente relacionado com o "tifo industria". Esta é uma opção assumida de forma diferente pelos diversos grupos de adeptos em todo o mundo.

Para alguns desses grupos de adeptos a auto-produção de materiais está relacionada com a sua identidade. Exemplificamos com os Ultras do Avellino que em 2009 e 2010 nos visitaram e que nos deram a conhecer uma realidade em que a aquisição do cachecol do seu grupo ultra resultou de um processo de conquista que se prolongou por alguns anos. Para esses ultras biancoverdi, a troca do cachecol do seu grupo é algo impensável. Uma postura de respeito que evoca de forma ortodoxa o ideal ultra. Uma realidade distante da generalidade dos grupos de apoio.

Na Torcida Verde a produção de material está centrado na necessidade de financiamento e na motivação em passar a nossa imagem a outros adeptos, ainda que conscientes dos riscos de associados à massificação e comercialização que rejeitamos.

A produção de t-shirt’s, cachecóis ou casacos é feita sobretudo para os elementos e amigos da Torcida Verde. O conceito principal é o de "consumo interno" até pelos recursos que exigem serem limitados.

Tags:
 

Setúbal 2 - SCP 0

Na Torcida Verde de há muito decidimos assumir posições em relação a temas considerados como verdadeiros "tabús" no mundo das "claques" (designação com a qual jamais nos identificámos).

Tratam-se de assuntos complicados, sobre os quais seria muito mais cómodo abdicar de tomar posição, escondendo-nos no "nim", algo tão usual numa sociedade onde a hipocrisia, o cinismo e a incoerência dominam impunemente.

Ter a coragem de tomar posição em relação a temas como a "violência organizada", "o enquadramento legal", "a política na curva", "o futebol moderno", "o ecletismo" entre outros, é uma demonstração inequívoca de coragem e maturidade.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS