Concertos no Estádio José Alvalade PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

O antigo Estádio José Alvalade foi sinónimo, nas últimas duas décadas da sua existência, de memoráveis megaconcertos ao ar livre. Em simultâneo com o crescente interesse na música popular durante os anos 80, foi a jovem população consumidora, num mercado em expansão acelerada, que encontrou eco nas propostas que surgiram para a realização de espectáculos no Estádio do Sporting Clube de Portugal.

concerto

O Estádio José Alvalade marca indelevelmente o arranque das mega produções que, se prolongam até aos dias de hoje, com recursos cada vez mais agigantados, envolvendo centenas de técnicos e toneladas de materiais e equipamentos.

O Estádio José Alvalade, até então, plateia de espectáculos sócio desportivos do atletismo, do ciclismo e, sobretudo do futebol, ganha uma nova componente. A componente da celebração da música de massas.

concerto

Depois do espectáculo premonitório e inaugural do brasileiro Roberto Carlos, o ano de 1989 marca o arranque definitivo, a 28 de Julho, na apresentação de espectáculos musicais, com a produção do concerto dos britânicos The Cure; desde então e, sucessivamente até Junho de 2003, o Estádio José Alvalade assistiu a memoráveis espectáculos que ficarão registados na memória colectiva dos acontecimentos musicais em Portugal, onde a presença de uma moldura humana estendida pelo relvado e pelas bancadas, a convivência inédita e salutar, entre diferentes gerações que se reuniram para celebrar o primeiro concerto dos Rolling Stones, depois os Pink Floyd e os U2, ilustram o ambiente que se vivia nesses eventos.

Michael Jackson

As "estórias" que compõem a história dos concertos em Alvalade são muitas. Os que assistiram lembrar-se-ão, certamente, do enorme palavrão gritado a plenos pulmões por Adolfo Luxúria Canibal vocalista dos Mão Morta, como resposta à crise social e a propósito do clímax da crise da ponte 25 de Abril.

O famoso espalhanço de entrada em cena de Axl Rose dos Guns N' Roses, perante 60 000 espectadores, e que teve como efeito o amuo da vedeta durante longos minutos. Neste concerto estrearam-se em palco nacionais os então "perfeitamente" desconhecidos do grande público Faith no More, que espantaram pela sua energia.

A homenagem ao eterno trovador da musica popular, José Afonso, prestada por músicos portugueses que lhe dedicaram, em 1994, vinte anos após a Revolução de Abril, versões numa leitura personalizada e criativa das canções de Zeca.

Pink Floyd

Xutos & Pontapés, Delfins, Madredeus, Entre Aspas, Censurados, Brigada Vítor Jara, Essa Entente, Sitiados, Vozes da Rádio, Sétima Legião, Peste & Sida ou o colectivo Resistência foram alguns dos que cantaram os poemas de sonho e esperança dos Filhos da Madrugada.

O último concerto "Portugal ao Vivo" ocorreu no dia 28 de Junho de 2003 e marcou a despedida do Estádio, no qual a Torcida Verde marcou presença e com direito a música à Torcida Verde pelo mítico Zé Pedro dos Xutos. Desta vez como espectadores, ao contrário do que sucedera nos primórdios dos anos 90 em que oferecemos o nosso contributo ao clube em tarefas complementares nos concertos dos Stones e de David Bowie.

As sementes lançadas pelos megaconcertos realizados no Estádio José de Alvalade, vingaram e, no inicio do seculo XXI, por certo que a mítica catedral do Rock, apesar de desaparecer fisicamente, estará para sempre associado ao simbolismo de celebração dos megaconcertos musicais em Portugal Já no novo Estádio da Alvalade foram realizados outos concerto como dos U2 ou ACDC, dando seguimento à tradição herdada do seu precursor!

Lista de concertos no Estádio José de Alvalade:
- Roberto Carlos / 22 junho de 1981 / 8000 pessoas
- The Cure / 28 junho de 1989 / 15000 pessoas
- Rolling Stones / 10 de junho 1990 / 60000 pessoas
- David Bowie / 14 setembro 1990 / 20000 pessoas
- Tina Turner / 29 setembro 1990 / 60000 pessoas
- Paul Simon / 20 julho 1991 / 15000 pessoas
- Carlos Santana / 27 julho 1991 / 25000 pessoas
- Joe Cocker e Simple Minds / 31 julho 1991 / 20000 pessoas
- Brian Adams / 13 dezembro 1991 / 30000 pessoas
- Dire Straits / 16 maio 1992 / 60000 pessoas
- Soundgarden, Faith no More e Guns N Roses / 2 julho 1992 / 60000 pessoas
- Elton John / 16 julho 1992 / 50000 pessoas
- Genesis / 23 julho 1992 / 50000 pessoas
- Michael Jackson / 26 Setembro 1992 / 60000 pessoas
- GNR / 10 outubro 1992 / 150000 pessoas
- Bruce Springsteen / 1 maio 1993 / 40000 pessoas
- U2 / 15 maio 1993 / 50000 pessoas
- Suicidal Tendencies, The Cult e Metallica / 16 junho 1993 / 60000 pessoas
- Portugal ao Vivo / 26 junho 1993 / 20000 pessoas
- Depeche Mode / 11 julho 1993 / 15000 pessoas
- Sting / 1 agosto 1993 / 15000 pessoas
- Prince / 15 agosto 1993 / 60000 pessoas
- Billy Idol e Bon Jovi / 11 setembro 1993 / 35000 pessoas
- Phil Collins - 7 maio 1994 / 40000 pessoas
- Filhos da Madrugada / 30 junho 1994 / 30000 pessoas
- Brian Adams / 10 junho 1994 / 20000 pessoas
- Pink Floyd / 22 e 23 julho 1994 / 85000 pessoas
- Bon Jovi / 15 junho 1995 / 35000 pessoas
- R.E.M. / 20 junho 1995 / 25000 pessoas
- Rolling Stones / 24 junho 1995 / 60000 pessoas
- U2 / 11 setembro 1997 - 60000 pessoas
- Witney Houston / 4 julho 1998 / 40000 pessoas
- Super Rock In Lisbon / 29 maio 2003 / 37000 pessoas
- Portugal Positivo / 28 junho 2003 / 32000 pessoas

 

Fora do Estádio "Agir, participar e intervir"

A actividade da Torcida Verde, desde 1984, tem-se centrado no apoio incondicional ás actividades do SCP e na divulgação e defesa dos seus valores fundamentais.

O nosso rumo descobriu no genuíno movimento ultra uma nova realidade que nos motivou potenciar a vertente da cidadania.

"Agir, participar e intervir" foi um lema adoptado nos anos 90, resultando das inúmeras actividades desenvolvidas pelo Grupo no campo do Associativismo que potenciaram valores como a Solidariedade.

Neste espaço encontram-se retratadas as principais actividades da Torcida Verde desenvolvidas tantas e tantas vezes de forma pioneira e destemida.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS