Entrevista com os Ultras Avellino PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Falar da Curva Avellino é falar de uma Curva que granjeou respeito e admiração por toda a Itália nos anos 80, época de apogeu do Movimento Ultra, bem como do Calcio.

Ultras Avellino

Decidimos dar voz aos Ultras Avellino, com os quais temos tido boas relações nos últimos anos e que inclusivamente se concretizaram com a vinda a Alvalade, já por quatro ocasiões, de ultras de diferentes grupos da Curva Avellino, para além de nos terem acompanhado em duas tranfertas a Itália, mais concretamente a Florença e a Roma (com a Lazio).

Esta entrevista é feita a um membro do grupo “Desaparecidos”.

Ultras Avellino

TV: Podes-nos fazer uma pequena apresentação da tua “Squadra” e da tua cidade?

Avellino é uma pequena cidade – com 60.000 habitantes – localizada no sul de Itália, a 220 Km de Roma e a 40 km de Nápoles.

É uma cidade muito agradável, ainda que em 1980 tenha sido devastada por um tremor de terra de grandes proporções.

A nossa equipa histórica é o Unione Sportiva Avellino 1912, que desde 1947 equipa de verde e branco. Os nossos melhores jogadores foram, entre outros, Stefano Taconi, Fernando de Napoli, Juary (que jogou em Portugal), Angelo Alessio, Beniamino Vignola; porém, o mais importante de todos foi o nosso histórico capitão Adriano Lombardi.

Ultras Avellino

TV: Os melhores anos da vossa equipa tiveram lugar nos anos 80, não é verdade?

Exatamente, mais especificamente entre 1978/79 até 1987. À excepção deste período temos jogado sempre na 3ª e 4ª divisões. Em 1973 conquistamos o campeonato da terceira divisão e quatro anos volvidos subimos à 1ª divisão após um grande jogo com a Sampdoria, em Genova. Este foi o nosso melhor período com grandes e inesquecíveis embates contra Juventus, Inter, Milan, Roma ou a Fiorentina. Os adeptos do Avellino recordam com saudade alguns jogos importantes dessa época aurea, como por exemplo um Avellino - 4 / Milan 0, Juventus -3 / Avellino 3, ou a nossa vitória mais espectacular contra a Udinese, em Udine, por 2-6.

Ultras Avellino

TV: Como está organizada a vossa Curva? Vocês têm ou tiveram diversos grupos, como os Commando Green Stars, New Bush, Desaparecidos, Cruels, Southern etc, quais as grandes diferenças entre eles?

Todos esses grupos já não existem mais! Nós decidimos parar a nossa actividade há quatro anos atrás quando o U.S. Avellino 1912, após 87 anos de história, desapareceu devido a graves problemas financeiros. A principal diferença entre os diversos grupos é a de que cada um provinha de uma parte diferente da cidade, ainda o principal grupo tenha sido o Commando Green Stars do Avellino, que haviam sido fundados em 1977.

Existiam igualmente algumas diferenças políticas, mas eramos todos irmãos, eramos todos Ultras Avellino, um problema de um era um problema de todos!

Ultras Avellino

TV: E em especial do teu grupo, pode-nos fazer uma breve apresentação?

Nós, os Desaparecidos, nascemos em 1993. Fazer parte dos “Desapa” foi para nós um modo de vida, onde o Avellino estivesse, nós estávamos! Podíamos ser 50/60 ou apenas 5 dependendo da distância, mas o mais importante é que estivéssemos em todo lado. Íamos para qualquer lado sem escolta.

O nosso nome tem origem num álbum de um banda italiana de rock de nome Litfiba, este CD em concreto tinha precisamente o nome de Desaparecido.

Ultras Avellino

TV: Quais as vossas amizades e principais rivalidades?

As nossas principais amizades são com os ultras dos Casertana, Cavese (Cava de Tirreni) e Messina. No entanto, temos respeito também por Atalanta e Sambenedettese. Durante os primeiros anos de Serie A tivemos também amizade com a Curva da Juventus. Os nossos principais rivais são o Nápoles, Salernitana, Roma, Verona, Catania, Palermo, Bari, Foggia, Lazio e Fiorentina.

Ultras Avellino

TV: Sabemos que presentemente o Avellino milita na Serie C, e com enormes problemas financeiros, pode-nos explicar o que se passa?

Bom, é relativamente simples. Tal como todas os clubes em Itália tivemos problemas financeiros extremamente graves – com uma dívida de mais de 20 milhões de euros - o que potenciou uma má relação dos adeptos com o presidente do clube. Todos estes problemas levaram a que o clube desaparecesse, mais concretamente no dia 10 de Julho de 2009. Foi exactamente nesse dia e após 87 anos de história gloriosa que vimos o nosso clube desaparecer.

Volvidos alguns meses foi fundada uma novo clube foi com o nome de A.S.D. Avellino Calcio. Apenas alguns de nós decidiram apoiar esta equipa. Para dar uma ideia não mais de 800 a 1000 pessoas estão presentes actualmente no estádio, ao passo que nos tempos do grande Avellino o normal era 20.000 a 25.000, e quando nós jogámos na primeira divisão ascendia a 40.000 pessoas (com uma cidade de 60.000 habitantes), portanto podem ter uma ideia da importância que o Avellino tinha para nós.

Ultras Avellino

TV: Tendo em conta aquilo que nos disseste, ainda assim parece algo estranho que não apoiem a nova equipa entretanto criada, não te parece que é uma decisão um pouco radical?

Bem, de certa forma sim, foi uma decisão radical para muitos de nós, mas se nos vierem visitar e se quiserem visitar o nosso estádio e verem um jogo, são bem-vindos e nós iremos ao estádio sem qualquer problema!

Ultras Avellino

TV: Então como está a Curva neste momento?

Há uma nova geração, com muita gente nova, que primeiro ainda tem que se tornar homens e então depois Ultras!

Ultras Avellino

TV: Existem alguns temas polémicos um pouco por todo lado na Europa, como o preço dos bilhetes, a força da Pay TV, o horário dos jogos. Por outro lado existe um pouco a visão – de quem está de fora – de que o Movimento Ultra em Itália está em crise. O que pensas desta conjuntura?

Na minha opinião o Movimento Ultra em Itália está praticamente morto. Por outro lado o futebol está cheio de interesses, deixou de ser um desporto para se tornar numa indústria de pessoas ricas. Ainda assim, é impossível matar a nossa paixão.

Ultras Avellino

TV: Existe alguma história na tua experiência ultra que queiras partilhar connosco?

Não é propriamente uma história ultra, mas uma recordação inesquecível foi a minha primeira ida ao Estádio, duas semanas antes do grande tremor de terra que destruiu Avellino (23 de Novembro de 1980).

Episódio inesquecível como ultra deu-se quando ganhámos o campeonato da 3ª divisão contra o Nápoles.

TV: Mensagem final para a Torcida Verde

Sinto-me orgulhoso por ser um de vós, é espectacular para mim e para nós estar convosco na Curva, com um dos melhores grupos ultras da Europa. É um orgulho para mim. Saudações irmãos e espero ver-vos tão brevemente quanto possível!

Mais informações:
http://it.wikipedia.org/wiki/Unione_Sportiva_Avellino

Tags:
 

Fossa dei Leoni - Fortitudo

A edificação de um espaço dedicado à problemática que envolve os adeptos de todo o mundo, no sítio oficial da Torcida Verde será sempre um desafio por cumprir, dada a dimensão de um fenómeno com expressão planetária.

Neste espaço serão incluídos submenus que retratam os objectivos a que nos propomos: divulgação de notícias sobre as problemáticas relativas aos adeptos; tratamento mais aprofundado de temas tidos como relevantes; entrevistas dando voz a temas relevantes em discurso directo.

Aqui são protagonistas Grupos de Adeptos Organizados, ou quaisquer outros actores desta realidade.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS