Épicas deslocações a Elvas e a Vidal Pinheiro em 1988 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Episódio 21

Na recta final da época 87/88 o futebol do SCP lutava para aceder às competições da UEFA.

A época futebolística turbulenta reflectiu-se na estabilidade do clube, eclodindo uma disputa pelo poder que levaria à presidência Jorge Gonçalves.

As últimas deslocações a Elvas (22-05-1988) e a Salgueiros (02-06-1988) foram episódios inesquecíveis pela grande mobilização dos adeptos do nosso Clube.

A Elvas rumaram 18 autocarros e a Vidal Pinheiro (Salgueiros) perto de 30, reflectindo o período de grande euforia da massa adepta verde e branca.

O nosso grupo aderiu a esta onda de entusiasmo e valorizámos ainda mais, os apoios que nos eram vedados. De facto, apoiar o futebol do clube tendo o "detalhe" dos transportes resolvido, era algo que nos estava interdito desde sempre.

Neste contexto, nas duas deslocações lotámos pela primeira vez 4 ou 5 autocarros.

 

SCP 0 - Basileia 0

Tratam-se de situações marcantes para os militantes da Torcida Verde que viveram essas jornadas ao vivo e a cores.

Desde 1984, o ano da sua fundação, a Torcida Verde tem vivido inúmeros episódios que forjaram o seu carácter e determinaram em grande parte a sua acção.

Tratam-se de situações marcantes para os militantes da Torcida Verde que viveram essas jornadas ao vivo e a cores.

São momentos diversos, com personagens tão diferentes como dirigentes desportivos ou institucionais até aos adeptos e cidadãos mais anónimos.

Neste espaço esses pedaços de história da Torcida Verde são evocados com humor, ironia, determinação e muita convicção. Uma abordagem que se pretende tão original como interventiva, bem evidente nos inúmeros episódios em que se denúncia a hipocrisia, o cinismo, a falta de coragem, o preconceito, a imbecilidade, a mesquinhez, a reverência ou a subserviência.

Simultaneamente muitíssimos outros momentos evocam grandes batalhas assumidas pela Torcida Verde em nome das nossas convicções e ideal clubista.

Estes textos ilustram o percurso da Torcida Verde, tantas vezes rumando num mar turbulento repleto de contradições que emergem, invariavelmente de factores exógenos e externos à natureza associativa do mundo dos clubes e dos adeptos.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS