Uma faixa "Sporting" para jogos fora PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Em 1986 a Torcida Verde participou numa das primeiras reuniões com os dirigentes do SCP e outros Grupos Organizados de adeptos. Com pouco tempo de existência, a nossa presença pautou-se pela descrição, sem nunca deixarmos de manifestar as nossas opiniões.

Símbolo do SCP

Um dirigente recém-chegado ao Clube, responsável pelas Relações Públicas, pretendia apresentar uma ideia aos grupos organizados de adeptos existentes naquela altura.

A proposta era de que nos jogos disputados fora do Estádio José Alvalade, todos os grupos de adeptos pudessem ficar agregados sob uma única faixa comum "Sporting".

Quando um dos presentes afirmou alto e bom som "não pensem que nos levantamos de madrugada para fazer centenas de kms e depois não podermos levar a faixa do grupo!". Naqueles tempos os jogos começavam pelas 15:00 horas e as deslocações faziam-se pelas estradas nacionais.

Apesar de numa primeira fase termos ficado surpreendidos com esta posição, com o passar do tempo fomos compreendendo a importância que a faixa principal tem em qualquer grupo organizado de adeptos, bem como alcance da afirmação citada.

 

SCP 0 - Basileia 0

Tratam-se de situações marcantes para os militantes da Torcida Verde que viveram essas jornadas ao vivo e a cores.

Desde 1984, o ano da sua fundação, a Torcida Verde tem vivido inúmeros episódios que forjaram o seu carácter e determinaram em grande parte a sua acção.

Tratam-se de situações marcantes para os militantes da Torcida Verde que viveram essas jornadas ao vivo e a cores.

São momentos diversos, com personagens tão diferentes como dirigentes desportivos ou institucionais até aos adeptos e cidadãos mais anónimos.

Neste espaço esses pedaços de história da Torcida Verde são evocados com humor, ironia, determinação e muita convicção. Uma abordagem que se pretende tão original como interventiva, bem evidente nos inúmeros episódios em que se denúncia a hipocrisia, o cinismo, a falta de coragem, o preconceito, a imbecilidade, a mesquinhez, a reverência ou a subserviência.

Simultaneamente muitíssimos outros momentos evocam grandes batalhas assumidas pela Torcida Verde em nome das nossas convicções e ideal clubista.

Estes textos ilustram o percurso da Torcida Verde, tantas vezes rumando num mar turbulento repleto de contradições que emergem, invariavelmente de factores exógenos e externos à natureza associativa do mundo dos clubes e dos adeptos.

 

Facebook Twitter YouTube Google+ RSS